La Quiaca - Argentina

Texto: Mônica Morás

A cidade mais ao extremo norte da Argentina faz fronteira com Villazón na Bolívia e fica numa altitude de 3442m acima do nível do mar (haja folhas de coca!). De ônibus de Salta, são 6h de viagem, parando em todas as cidades do caminho. Chegando lá, a visão não poderia ser mais desoladora, se considerada a importância que ela tem: uma cidade empoeirada, cuja única atração é o mercado municipal a céu aberto e uma pequena praça bem estruturada com espaço para a pratica de esportes. As pessoas em geral não são muito receptivas, bastante desconfiadas até. Descobrimos pouco tempo antes que lá eles tem a crença de que a fotografia rouba a alma, então andar até mesmo como iPhone já era quase uma ofensa, imagina fotografar!

La Quiaca é um povoado muito frio a noite e tudo fecha durante a ciesta (13h às 17h) e depois fecha definitivamente às 19h. Ou seja, comer fora desses horários ou até mesmo comprar uma água, é quase impossível. Mas nem tudo está perdido na hora da ciesta. O refeitório do mercado municipal fica aberto com os comerciantes dispostos a vender um banquete por 20 pesos. O aspecto do lugar é de dar medo (e nojo!), mas o atendimento e a comida são fantásticos, com direito a sopa de entrada, bife feito na hora e um pratão de comida (salada farta, arroz, bife do tamanho do prato e batatas cozidas) de dar quase uma congestão só de olhar, e tudo isso acompanho de suco de pêssego. Mas é costume deles comerem bastante mesmo, então o negócio é abstrair, pensar que uma viagem é feita de histórias pra contar, e comer bem tranqüilo.