Purmamarca e Morro de Sete Cores - Argentina

Hello, World!

Purmamarca é um vilarejo minúsculo, com menos de mil habitantes e que parou no tempo. Ela é conhecida pelo Morro de Sete Cores (Cerro de Siete Colores), uma montanha com as sete cores extremamente bem definidas que nem parecem de verdade. O melhor lugar para fotografar fica a 400m da entrada da cidade, onde existe um tronco com o nome da cidade pintado.  E o melhor horário para fotos é pela manhã quando o sol inside nas pedras e as cores ficam bem visíveis. A tarde a luz ofusca a visão e não permite a definição das cores. Quem passa mais tempo na cidade, pode percorrer a pé ou de carro os 3km do Paso de Los Colorados, um caminho que passa na base no morro. Nós fomos de excursão com a Turismo La Posada (link aqui) no mesmo dia que conhecemos a Salinas Grandes (link aqui).

Na hora do almoço aproveitamos para experimentar a carne de lhama no único restaurante aberto da cidade, o Las Vicunãs durante a hora da ciesta. A carne é macia e suave, mas bem cara. Depois fomos percorrer as poucas ruas da cidade e conhecer o artesanato local (cerâmica, tecidos, madeira) com os poucos artesãos que estavam acordados no horário e expondo na praça central. Também ficamos surpresos com o jardim principal da praça: ele é todo de cactos e várias espécies. Isso porque como não chove durante muito tempo, apenas esse tipo de planta é capaz de sobreviver o ano todo. Na praça também tem um mapa da cidade com um pouco da história em várias línguas, até português. Purmamarca significa em língua quéchua “povo da terra virgem”, ela foi um antigo paradouro do Caminho Inca e hoje é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Para chegar em Purmamarca existem linhas de ônibus que fazem norte-sul com horários regulares que deixam e pegam na entrada da cidade, uns 3km de caminhada. Os ônibus que entram na cidade param na esquina das ruas Rivadavia e Liberdad. Apesar de ser um vilarejo, há um número considerável de hostels. Se o objetivo for apenas conhecer a cidade, vale a pena chegar cedinho e seguir viagem na hora da ciesta.