Passeio Típico em Sábado de Outono no RS

Hello, World!

Texto e Fotos: Mônica Morás

No último sábado aproveitei o dia de sol para levar minha irmã e meu pai para conhecerem o Templo Budista em Três Coroas, o Lago São Bernardo em São Francisco de Paula e o Cânion Itaimbezinho em Cambará do Sul. Foram mais de 400km rodados no dia!

Minha irmã, Morgana

Minha irmã, Morgana

Meu pai, Jandir

Meu pai, Jandir

Templo Budista, Três Coroas: Saímos cedinho e chegamos no Templo Budista Khadro Ling, dedicado ao Budismo Tibetano, pouco depois do horário de abertura, que é às 9h nos finais de semana. Isso foi fantástico, porque ainda estava bem vazio e pudemos aproveitar toda a paz que o lugar transmite. Em cada um dos símbolos que lá estão é aconselhado que se dê a volta no sentido horário, é auspicioso. Todos têm uma pequena explicação em português, inglês e espanhol numa plaquinha. Existem também indicações de não pisar na grama e alguns cavaletes espalhados pelo caminhos que as formigas percorrem. 

Templo Budista

Templo Budista

Essa fofura estava de guardião do Templo

Essa fofura estava de guardião do Templo

Rodas de orações cheias de mantras de vários budas

Rodas de orações cheias de mantras de vários budas

Assim elas passam tranquilas

Assim elas passam tranquilas

Terra Pura de Guru Rinpoche

Terra Pura de Guru Rinpoche

Frente do templo

Frente do templo

Atrás do templo

Atrás do templo

Terra Pura de Guru Rinpoche

Terra Pura de Guru Rinpoche

Bandeiras de orações

Bandeiras de orações

Estupas, são a representação da mente iluminada 

Estupas, são a representação da mente iluminada 

Mais bandeiras

Mais bandeiras

Bandeiras de orações

Bandeiras de orações

Buda Akshobhya

Buda Akshobhya

Guru Rinpoche

Guru Rinpoche

Naquele dia ia acontecer uma palestra gratuita de introdução ao Budismo, mas nós tínhamos outros planos... Lá é possível fazer oferendas de vários tipos, com custo. Aos domingos também há práticas de meditação aberta ao público e periodicamente são feitos retiros para iniciantes. No site tem todos os detalhes de datas e horários! Ah, a entrada é gratuita, não há hospedagem, nem alimentação, mas existem banheiros e uma pequena lojinha. Para entrar no templo é preciso tirar os sapatos, óbvio! Ficamos lá por quase duas horas.

Lago São Bernardo, São Francisco de Paula: A segunda parada foi em São Francisco de Paula no Lago São Bernardo, um lugar fascinante pra passar o dia todo. A margem é toda ajardinado com pinheiros e plátanos, o lago é despoluído e usado para prática de esportes náuticos. A visita é gratuita e é impossível não perder a noção do tempo estando ali. Ficamos na cidade umas duas horas. Para quem não sabe, São Francisco de Paula fica só a 35km de distância de Gramado.

morgana-2.jpg
Avenida Julio de Castilhos

Avenida Julio de Castilhos

Cânion Itaimbezinho, Cambará do Sul: A última parada foi em Cambará do Sul para visitar o cânion Itaimbezinho no Parque Nacional Aparados da Serra. Já era tarde para fazermos as trilhas maiores (meu pai ficou feliz por isso!) e ainda corríamos o risco de pegar neblina no cânion. Mas decidimos ir mesmo assim e tivemos um pouco de sorte. Fizemos a Trilha do Vértice, a mais curtinha, e chegamos pouco antes da neblina subir e cobrir todo cânion. Valeu a pena mesmo assim!

Cânion Itaimbezinho com a neblina começando

Cânion Itaimbezinho com a neblina começando

Cânion Itaimbezinho

Cânion Itaimbezinho

Cascata das Andorinhas

Cascata das Andorinhas

Neblina subindo

Neblina subindo

Na trilha do Vértice

Na trilha do Vértice

Na trilha do Vértice

Na trilha do Vértice

Na trilha do Vértice

Na trilha do Vértice

Para chegar no cânion são 18km de estrada de chão bem conservada, totalmente diferente do estresse que é ir para o cânion Fortaleza. A entrada custa R$ 6,50 por pessoa e mais R$ 5,00 por automóvel. Existe uma sede administrativa com maquetes, cartazes explicativos e banheiros, mas sem alimentação. As trilhas são auto-guiadas e não é possível acampar. Ficamos lá por umas duas horas, vendo a neblina subir e descer e subir novamente até encobrir tudo!

Quando tudo que se via era neblina

Quando tudo que se via era neblina

Voltamos para casa já de noite, exaustos e muito felizes pelo sol lindo que nos acompanhou o dia todo e pelo tanto que beleza que vimos num único dia. Claro que cada cidade que visitamos merece muito mais que apenas duas horas de nossa atenção pelo tanto de atrações que têm a oferecer, mas nosso dia foi sensacional mesmo assim!

E assim acabou o dia!

E assim acabou o dia!