Ata de 2 Meses de Viagem

Texto: Mônica Morás

Boracay - Filipinas, 25 de agosto de 2014.

Ata de 2 Meses de Viagem

- Chegaram de vez na Ásia! Agora não tem mais como disfarçar para os vendedores ambulantes.

- Perceberam que sacoleiros e farofeiros existem por todo o mundo e aqui eles não são muito educados nem bem humorados.

- Comprovaram que a comunicação universal do sorriso e boa vontade é bem mais recompensadora do que apenas falar inglês.

- Na Ásia é lei negociar! E isso é muito chato e cansativo, mas Eduardo e Mônica sabem o valor do seu dinheiro e por isso não permitem que alguém tente lhes explorar.

- Se apaixonaram pela Mongólia. Eduardo quer voltar e ficar alguns dias com uma mesma família nômade.

- Descobriram que Pequim pode ser o inferno na terra durante o verão: calor, umidade, férias e milhares de pessoas concentradas em um único lugar.

- Visitaram a Muralha da China. Eduardo ainda não se coformou de não ter ido para o lado esquerdo da muralha. Mônica não entendeu porque alguns degraus tem a metade do tamanho normal e outros tem o triplo do tamanho normal.

- Passaram 15 dias em Hong Kong descobrindo tudo que a cidade pode oferecer. Tiveram quase uma relação de amor e ódio por ela nesse período.

- Mônica moraria em Hong Kong por ser uma cidade vibrante e pela comida. Eduardo não moraria por motivos culturais. Ele ainda prefere Nova York, mesmo se nunca ter ido lá. Mônica insiste que Hong Kong melhor que Nova York. E ela já esteve lá.

- Descobriram 2 dias antes de embarcar para Bali, na Indonésia, que visitar as Filipinas seriam um bom negócio e uma excelente ideia.

- Eduardo e Mônica foram para as Filipinas. Eles não se arrependem de ter escolhido com primeira parada a ilha Boracay.

- Descobriram que paraísos existem, que comédias românticas filmadas em praias asiáticas são bem reais e que festas muito loucas podem acontecer a qualquer momento e em qualquer lugar. Eles adoram isso!

- Desde que chegaram na Ásia já foram fotografados e fotografaram junto com pessoas desconhecidas também por motivos desconhecidos. Mas sempre mantêm o sorriso no rosto e agradecem os elogios.

- Foi mais um mês em que tiveram choques culturais, experimentaram vários tipos de novas comidas, conheceram mais pessoas num único mês do que talvez muita gente conheça num ano inteiro, compartilharam experiências com pessoas que estão fazendo o mesmo tipo de viagem e assim concluiram que talvez os viajantes que mais se divertem são os que justamente tem o menor orçamento. Sabe, pra tudo tem um jeito!

Já conhece nosso Facebook?

VEJA MAIS