Como Foi Começar na Fotografia Profissional

Translate here!

Texto e Fotos: Eduardo Viero

Há 3 anos atrás saí da empresa onde trabalhava para encarar o mundo de uma forma diferente, quando decidi que seria fotógrafo profissional. Já contei aqui como foi esse processo da decisão, mas poucos sabem como foi o começo dessa nova etapa.

A forma que comecei me organizar foi um ano antes de eu deixar a empresa que eu trabalhava, quando eu comecei juntar dinheiro para comprar um equipamento que me desse resultado profissional. Nesse mesmo ano também comecei a fazer alguns trabalhos como segundo fotógrafo para amigos meus que são fotógrafos. Fiz casamentos, formaturas, aniversários e etc, mas nesse tempo eu já sabia que tipo de fotografia eu queria fazer, que era de moda, porque eu me identifico e gosto de fotografar pessoas. Fui fazendo alguns trabalhos e pegando referências de outros fotógrafos.

Quando eu saí da empresa, fiquei 6 meses focando no término do meu TCC e trabalhando em um projeto na minha universidade que ensina fotografia básica para crianças de escolas pobres da região. Eu não ganhava dinheiro, apenas uma bolsa auxílio, mas ganhei muita experiência com essas crianças e os professores do projeto. Uma das coisas que me ajudou muito foi eu saber o que eu precisava para ser reconhecido, por exemplo. Eu sabia qual o equipamento eu precisava, eu sabia quais os programas de edição eu precisava, eu sabia qual computador, quais HDs e tinha minhas referências fotográficas.

Eu comecei a montar tudo isso na mente para começa a organizar as ideias. Comecei a perceber quais são os horários do dia que eu rendia mais. Por exemplo, eu prefiro trabalhar a noite, é quando eu escrevo coisas pro blog, pro ebook de fotografia de viagem (presente por assinantes aqui do site) e pesquiso coisas novas. Durante o dia eu faço os trabalhos que tenho que fazer (outdoor) e resolvo as coisas normais de todo mundo. E pela manhã eu não rendo, então eu durmo até mais tarde! E isso eu não tenho vergonha de dizer. Muitas pessoas dizem: "mas como tu dorme enquanto todo mundo levanta cedo pra ir trabalhar?". Isso é o que a sociedade impôs pra todos nós, então devemos quebrar isso e ver o que nos faz bem. Quando você descobre os horários que você rende mais, fica fácil de organizar o tempo.

Durante todo o processo eu comecei montar o meu estilo fotográfico e isso eu acho que é o mais difícil, porque é a tua vida expressada através da fotografia. Referências fotográficas ajudam bastante, foi o que eu fiz nesses 7 anos, desde que descobri a fotografia. Quando se tem um estilo definido (mas isso vai mudando aos poucos), você tem que acreditar nele e fazer com que as pessoas acreditem em você, é como vender uma ideia. Uma forma de mostrar isso para as pessoas é postar fotos sempre do mesmo estilo nas mídias sociais. 

Veja o PORTFOLIO completo de fotografia.

Em relação a organização financeira é um pouco mais delicado de comentar, pois isso depende de vários fatores. No inicio foi dificil mesmo, as pessoas não querem pagar quase nada pelo trabalho e isso é frustrante. O importante foi não desistir e eu, mais que ninguém, tive que acreditar no meu trabalho. Eu passei administrar a minha vida financeira e isso é estranho logo que saí de uma empresa. Tive que fazer alguns trabalhos de graça para montar portfólio, o que é muito bom para quem está começando, e vou continuar fazendo, pois assim eu consigo desenvolver o meu estilo e conceito. Ter bons relacionamentos e relacionamentos sinceros ajudam muito também para ter opinião e divulgar o trabalho.

Não existe um manual exato para começar na fotografia, mas acredito que enxergar onde você quer chegar é o caminho. 

 

GALERIA: Fashion Lifestyle

GALERIA: Interiores

Pra quem quiser conhecer mais do meu trabalho na moda, é só acessa o meu site Eduardo Viero Photography.

E pra quem quiser receber gratuitamente o ebook Profissão: Fotógrafo Viajante, basta assinar nosso site

 

Já conhece nosso Facebook?

VEJA MAIS