Como Arrumar a Mochila para Volta Ao Mundo: Por Mônica Ano 1

Translate here!

Texto: Mônica Morás    Fotos: Eduardo Viero

Tão dramático quanto arrumar a mochila, é falar sobre ela. São 12 quilos de puro stress toda vez que tem que fechar. Esse post é dedicado exclusivamente a minha mochila, porque o Eduardo vai escrever sobre a dele. 

Minha mochila é uma Deuter Futura Pro 42 litros, com sistema de ventilação nas costas, barrigueira estruturada, tira peitoral, bolsos externos, abertura frontal, variflex, capa de chuva, super resistente e pequena. Apesar de não ser uma Deuter feminina, vestiu perfeitamente para o meu tamanho. Mas só ela pesa quase 2 quilos e a capa de proteção pra transporte da Deuter (pra despachar) pesa meio quilo. Sendo assim, minha bagagem interna tem no máximo 10 quilos! Se tem uma coisa que eu aprendi nessa viagem foi: quanto mais espaço a gente tem, mais tralha a gente junta.

Arrumar a mochila foi um processo que levou uma semana inteira colocando e tirando coisas lá de dentro, mais ou menos da mesma forma que me libertei do meu guarda-roupa um ano antes. Como tudo na vida é um questão de prioridades, eu defini as minhas: clima, conforto e combinação. As três coisas tinham que encaixar, porque eu ia pegar invernos rigorosos, verões escaldante, andar pela praia, cidade, montanha e chuva. Tudo numa viagem só! 

O conteúdo da mochila foi mudando durante a viagem conforme as coisas iam perdendo utilidade ou eram substituídas. Qualquer peça nova exigia o desapego de uma velha e já no segundo mês de viagem fui obrigada a me livrar de todas as coisas desnecessárias que tinha trazido de casa. 

 Entre o que eu trouxe e comprei na estrada, a lista do que funcionou é:

  • 1 calça jeans
  • 1 legging
  • 2 vestidos
  • 3 camisetas
  • 2 regatas
  • 2 shorts
  • 1 tapa olho (nao vivo sem!). Com o código MONICAMORAS10 você ganha desconto de 10%.
  • 1 camisa leve manga longa
  • 1 manga comprida
  • 1 blusa termo skin
  • 1 casaco corta vento
  • 1 casaco de plumas de ganso
  • 1 touca
  • 1 manta
  • 1 par de luvas
  • 1 biquini
  • 1 lenço longo
  • 1 tolha de viagem
  • 1 sandália de caminhada
  • 1 havaianas
  • 1 tênis de hiking impermeável (goretex)
  • 1 sapatilha dobrável Ballasox
  • 4 pares de meias
  • 1 par de meia de lã
  • 6 calcinhas
  • 2 sutiãs

A máquina de lavar roupa sempre foi minha aliada! Como Eduardo e eu levamos a maioria das peças em tons escuros, nunca tivemos problemas em misturar tudo numa maquina só! Ah, nós dois temos pavor ao ferro de passar e por isso não usamos nada que amasse muito também.

Maquiagens 728x90

Não levei pijama, usava um short leve e uma camiseta limpa para usar em dormitórios. Mais isso aí me ocupa metade da mochila dentro de três sacos organizadores tamanho P da Muji. Meu problema é o resto!

  • 1 bolsa que cabe a câmera dentro sem chamar a atenção.
  • 1 clutch pros dias que a câmera fica em casa.
  • 1 necessarie: maquiagem e kit manicure 
  • Remédios e lente de contato 
  • 1 capa de proteção pra mochila.
  • Lacres de proteção Sealbag pra viagens de avião e cofres que a chave não fica conosco, porque o golpe da cesárea também acontece em mochila. 
  • 1 sombrinha de viagem
  • 1 lanterna de cabeça
  • 1 óculos escuro
  • Brincos, pulseiras, colares
  • Tapa olho (não durmo sem!)
  • Caneta e bloco de anotações
  • Cópia do passaporte e fotos 3x4
  • Almofada de pescoço inflável
  • Doleira de cintura
  • Cadeado
  • Saquinhos ziplok pra viagem de avião.
  • Produtos de higiene: sabonete, shampoo, antitranspirante, protetor solar. O shampoo nós tínhamos um Lush para as viagens constantes, porque parece um sabonete e rende muito. Mas quando ficávamos mais tempo em algum lugar, usávamos shampoo normal, mas em embalagens pequenas, comuns na Ásia.
  • Cabos: carregador do celular, da câmera, do computador, cabo do HD externo, fones de ouvido, bateria extra e adaptador de tomada. Ocupam muito espaço, pesam bastante, mas são indispensáveis. 

BAGAGEM DE MÃO

Tenho uma mochila pequena onde levo: computador, a câmera com lente, celular, documentos, óculos de leitura e uma pequena necessaire com colírio, lenços de papel, brilho labial, caneta, tapa olho, descongestionante nasal. No dia a dia, eu usava a bolsa que chama bem menos atenção, apesar do volume na mochila da costas. 

O problema todo é a mochila da frente (de ataque), que pesa tanto quanto a das costas, só que tem muito mais coisas de valor. E andar com as duas juntas é quase uma tortura pros ombros.

E pra quem ainda tem dúvida de cores das roupas, eu diria: vai de preto! Sempre! Calça, casaco, blusa, sutiã, sapato, vestido. Fica elegante de noite e de dia, disfarça bem a sujeira quando não dá pra lavar a roupa entre uma mudança e outra e combina com qualquer coisa. Se eu soubesse disso antes, teria trazido muito mais preto, mas me virei bem usando cinza. 

Não existe bagagem perfeita! Numa viagem longa ela vai mudando e se adaptando as necessidades. Qualquer 10 minutos de caminhada da estação até o hostel debaixo de sol escaldante ou chuva pesada com a mochila pesada é uma tortura. E por isso a questão do desapego fica bem mais fácil na hora de fechar a mochila e depois com ela pesada nos ombros, porque vira uma luta pra deixar ela leve e fazer o balanço com  a mochila da bagagem de mão. 

Já conhece nosso Facebook?

VEJA MAIS