10 Coisas da Vibrante Hong Kong

Translate here!

Texto: Mônica Morás     Fotos: Eduardo Viero e Mônica Morás

Hong Kong é vibrante, iluminada, corrida, divertida, espremida e ao mesmo que tempo que parece uma bagunça, é muito organizada. Talvez a maior herança da colonização britânica tenha sido a educação. Hong Kong é parte da China, mas é considerada território internacional. Chineses precisam de uma permissão especial no passaporte para visitar a ilha, tipo um visto. E muitos estrangeiros que moram na China usam Hong Kong para renovar seus vistos. 

Passamos 1 mês por lá trabalhando e em todas as oportunidades que tivemos de voltar, Hong Kong nunca deixou de surpreender e encantar. Hong Kong é vibrante, não existe outra definição! Ok, tem pessoas que definem como claustrofóbica, mas não faço parte desse grupo, porque gosto do movimento.

Outra coisa que eu adoro em Hong Kong é poder praticar Window Shopping com calma e ainda encher os olhos. Para quem não sabe, Window Shopping é sair para olhar vitrines de lojas sem intensão de comprar nada. Eu não preciso comprar, apenas olhar já me satisfaz e Hong Kong é perfeita para isso, pois é completamente visual. 

Sabendo de tudo isso, separei uma lista de 10 coisas que eu adoro por lá sem ordem de preferência: 

1. Mongkok a noite 

Com aqueles infinitos leds e a bagunça toda do pessoal comprando enlouquecidamente nas promoções imperdíveis até para quem não é muito fã de compras (tipo eu!). Não posso negar que existem outros mercados ótimos como o da Temple Street, mas Mongkok ganha, porque tem mais variedade de mercados, mesmo com tantos produtos de origem duvidosa. 

2. Causeway Bay

Apenas por ser Causeway Bay!  A primeira vez que cheguei em Hong Kong, desci em Causeway Bay a noite com aquela quantidade infinita de luzes que mais parecia dia. São tantas lojas tanto movimento, tantas opções de brilhar os olhos que é impossível não se contagiar com o clima. 

3. Andar pela Nathan Road sem rumo

Hong Hong é pequena. Em Kowloon você consegue andar tranquilamente ao pela Nathan Road passando por 4 estações de metro sem nem perceber que caminhou tanto. Nesse meio tempo ainda dá para se perder em algumas ruas aleatórias e visitar o K11, um shopping ótimo com muitos produtos de design! 

4. Ir da Central até Sheung Wan pela Hollywood Street

Passando das lojas carissímas, parando em outras alternativas, vendo as criatividade nas fachadas e enchendo os olhos com os produtos diferentes. Subindo a maior escada rolante do mundo, parando em algum pub e ainda se perdendo nas ruas hipsters perto do Soho e Sheung Wan. Só olhar já me deixa feliz!

5. Andar pelo mercado de eletrônicos da Shang Po e da Mongkok

Namorar a Apple, já que Hong Kong é o lugar do mundo mais barato, justamente porque não tem imposto. Hong Kong é o lugar certo para trocar equipamento quando se trabalha na estrada, como nós. Mas se o objetivo for ver coisas mais baratinhas, como algum acessório para GoPro ou para Câmera fotográfica, um cabo, uma bateria, etc, os melhores lugares ainda são Shang Po e Mongkok no maior estilo Made in China. Tem de tudo, basta procurar! Diria que é mais fácil negociar em Shang Po, porque é onde tem menos estrangeiros.

6. Ver a sinfonia de luzes no Victoria Harbour

É um show! Acontece todos os dias, a música é alta e as luzes dançam mesmo. Resumindo é lindo e imperdível. 

7. Andar pela Calçada da Fama, que agora mudou para Jardim da Fama

Eles estão em reformas, por isso o lugar das estátuas mudou. mAs sinceramente não visito para ver as estátuas, vou porque o visual do continente para a ilha é sensacional.

8. Visitar os tempos e parques

Parece mentira, mas o que Hong Kong tem de pequena, ela tem de parques. De manhã cedinho dá pra ver os velhinhos se exercitando e nos finais de semana todos reunidos jogando. 

9. Visitar o Big Buda de teleférico

Esse passeio por si só já é uma aventura, que começa no pseudo Outlet do lado do teleférico. O teleférico tem uma vista incrível da ilha e se o dia tiver limpo. Na ilha do Bud Buda ainda existem outras vilas de pescadores para serem visitadas, como Tai Ó, onde as casas são todas de palafita.

10. Comer o fried flat rice noodles

Das comidas chinesas, a cantonesa é a minha favorita, a mais próximo dos que nós brasileiros somos acostumados. O fried flat noodles é uma delícia e todos os restaurantes, esses de rua mesmo, e por preços pagáveis. Sim, o  MC Donalds seja a opção mais barata na ilha e ainda tem wifi, mas tem horas que uma comida normal faz falta. 

11. Bônus: 

  • As festas; 
  • Os mercados diurnos, noturnos e de final de semana;
  • Tem Disney; 
  • Tem Ocean Park; 
  • tem o Victoria Peak, de onde se vê a cidade do alto;
  • Tem roda gigante;
  • Todo mundo fala inglês;
  • Tem wifi free em todos os lugares, tipo Mc Donalds e Sassa;
  • O transporte público é maravilhoso;
  • A vista do alto dos prédios é de tirar o fôlego;
  • Macau é ali do lado.

Hong Kong é uma cidade/país de no mínimo uma semana, que sempre vai ser pouco e que vai deixar saudade. Hong Kong é vibrante, é iluminada a ponto da noite parecer dia, e faz parte do meu Top 3 países na Ásia. A única coisa que me incomoda é que é um lugar caro e os apartamentos são menores que latas de sardinha. Mas eu falo sobre os extras em outro post.

Já conhece nosso Facebook?

VEJA MAIS