Como é a Viagem no Tren a Las Nubes, Argentina

Texto: MONICA MORAS  Fotos: EDUARDO VIERO

O Tren a Las Nubes, no norte da Argentina, era uma das coisas que eu mais queria fazer quando planejamos a viagem para Salta. Custa caro, mas vale cada centavos pela paisagem e pela emoção de passar pelo viaduto La Polvorilla. 

Além de ser uma das mais famosas atrações turísticas do noroeste argentino, o Tren a Las Nubes (Trem para as Nuvens) é um trem de passageiros que percorre um trajeto de mais de 200km (só ida), faz zigue-zague bem devagarzinho, curvas em meio as montanhas coloridas, atravessa pontes, túneis e viadutos, sendo o mais impressionante o Viaducto La Polvorilla. O viaduto La Polvorilla fica a 4200 metros acima do nível do mar, um enorme viaduto em curva, de 224m de comprimento e 64m de altura. 

Tren a Las Nubes e Viaducto la Polvorilla, Argentina

Quando o trem está prestes a entrar no viaduto, ele faz uma pausa rápida, começa a tocar a música Tren del Cielo bem alto, para todo mundo entrar no clima e nem precisa colocar a câmera para fora para ter a visão do trem entrando no viaduto e fazendo a curvinha. Ele vai, volta e faz uma parada antes de regressar para San Antonio de Los Cobres, onde ganhamos um certificado por ter atravessado o viaduto mais alto da Argentina a bordo do Tren a Las Nubes. Nessa parada, no viaduto de La Polvorilla, é possível descer do trem, fazer algumas fotos e onde dezenas locais aparecem com artesanatos para a venda. 

A viagem é lenta, a 35km por hora. Dá para aproveitar bem a paisagem, fazer fotos, ver as montanhas mudarem de cor, pequenos vilarejos ficarem para trás. Tem música ambiente no trem, comissários, filme e restaurante. Nós levamos um lanche. Uma coisa interessante de se saber é que o trem partiu de Salta pela primeira vez levando alimentos e material para as minas do deserto do Atacama, no Chile. Hoje, leva passageiros em busca de uma experiência diferente em terras argentinas e que querem se sentir nas nuvens. Não tem nuvem, mas é lindo demais!

A HISTÓRIA DO TREN A LAS NUBES

O nome Tren a las Nubes (Trem para as Nuvens), de acordo com o escritor Luis Borelli, é por causa de um filme colorido produzido por um vídeo maker de Tucumán na década de 60, antes da exploração turísticas da região. Esse tucumano estava a bordo do trem gravando tudo e quando chegaram no viaduto La Polvorilla, o trem teve um escapamento de vapor lateral que, por consequência das baixas temperaturas, não se dissipou rapidamente e ficou flutuando no ar por alguns momentos. 

O vídeo foi oferecido a Ferrocarril, companhia ferroviária local, que ao ver a cena do vapor em que o trem ficou envolvo no viaduto La Polvorilla, logo deu o nome do filme de Tren a las Nubes. Mais tarde, a Ferrocarril usou o nome para o único empreendimento turístico ferroviário que percorria 217km. 

A título de curiosidade: não vimos nenhuma nuvem, nem vapor o caminho todo, mas a sensação de estar em cima de um viaduto tão alto com o trem fazendo a curvinha, tocando alto a música especial Tren del Cielo da cantora argentina Soledad Pastorutti é indescritível! 

Soledad Pastorutti: Tren del cielo

SAN ANTONIO DE LOS COBRES

A cidade base do Tren a Las Nubes é San Antonio de Los Cobres. Não dá tempo para conhecer ela durante o passeio do trem, mas caso você queira ir em outro momento, seja por conta pela RN51, pegando ônibus de Salta ou no tour para Purmamarca e Salinas Grandes, saiba que a cidade já foi muito importante no passado. 

San Antonio de Los Cobres foi um antigo acampamento mineiro e por isso tem esse nome, por causa das minas de cobre e prata que existiam por lá na época da sua fundação. As minas ainda existem, mas já não tem a mesma importância. A cidade é pequena, pouco mais de 2 mil habitante, com casas de adobe, ruas de terra e aparência de cidade fantasma. Mas San Antonio de Los Cobres ficou famosa por causa do viaduto La Polvorilla, a 15km, e por causa do Tren a Las Nubes (Trem para as Nuvens). 

SEGURANÇA E DICAS GERAIS

  • A viagem é longa e atinge uma altitude de 4200m, portanto é importante que você saiba de algumas coisas:
  • Tome um café da manhã bem servido.
  • Beba bastante líquido.
  • Leve folhas de coca para evitar o mal da altitude. Vende em vários lugares da cidade e para usar, você pega umas 3 folhinhas, dobra elas e coloca entre a gengiva e bochecha e fica só sugando, não precisa mascar. 
  • Quando o trem para no viaduto La Polvorilla, todo mundo pode descer por 20 minutos para fotografar e tem tipo uma feirinha. Nesse momento caminhe devagar, não tente subir as escadas com pressa, porque você vai se sentir sem ar. Dica de quem não seguiu essa recomendação e ficou exausta em 2 minutos. 
  • Caso se sinta mal por qualquer motivo, chame um comissário, pois existem médicos a bordo do Tren a las Nubes, e uma ambulância e caminhonetes seguem o trem o trajeto todo. Dá para acompanhar eles pela janela do trem. 

COMO COMPRAR AS PASSAGENS DO TREM PARA AS NUVENS

Existem duas opções baseadas em tempo e nacionalidade, pois argentinos pagam menos. Nós fizemos o ônibus+trem+ônibus. Se você puder escolher o vagão, fique no mais atrás possível, para garantir as fotos do trem virando na ferrovia. 

Fonte: Tren a las Nubes

  • ÔNIBUS + TREM + ÔNIBUS

Nessa opção um ônibus sai de Salta a caminho de Campo Quijano e Gobernador Solá, até chegar a El Alfarcito onde há um café da manhã com produtos locais. Depois dessa parada, o ônibus segue pela Quebrada de las Cuevas e Muñano para chegar a San Antonio de los Cobres. É em San Antonio de los Cobres que as pessoas embarcam no Tren a las Nubes para andar cerca de 1hora até o Viaducto La Polvorilla, a 4200m acima do nível do mar. 

Depois de aproximadamente 30 minutos, começa o retorno a San Antonio de los Cobres. Ali acontece uma segunda troca para o ônibus, onde cada vagão ganha um número para pegar a sua van correspondente. No trem eles explicam como funciona e nessa troca tem algumas barraquinhas de souvenires. 

Durante a volta de van tem uma parada em Campo Quijano e Santa Rosa de Tastil, uma vilinha charmosa com um pequeno museu, feirinha de artesanato e banheiro para o pessoal do tour. A parada ali é rápida, mais para esticar as pernas mesmo. A viagem dura o dia todo, desde às 7am até a noite. 

PREÇO: 2570 pesos argentinos. 

  • SOMENTE TREM

Apesar de mais barata, não compensa muito, pois o trem sai de San Antonio de Los Cobres e volta para o mesmo lugar. Ou seja, você vai ter que ir por conta própria até a cidade e voltar. O trem vai sair de San Antonio de Los Cobres, andar mais ou menos 1h até cruzar o Viaducto La Polvorilla, a 4200m acima do nível do mar. E depois de mais ou menos 30 minutos, ele retorna para San Antonio de los Cobres. 

PREÇO: 1590 pesos argentinos

Para mais informações sobre o Tren a Las Nubes e para comprar passagens antecipadamente acesse http://trenalasnubes.com.ar. Nós compramos pessoalmente no escritório do Tren a Las Nubes na Galería Baccaro, Local nº 33.

FIQUE LIGADO!!!

Não esqueça de fazer o Seguro Viagem! Eu já precisei (contei aqui) e não tinha. Não cometa meu erro! Fazendo o seguro através do nosso link você não paga nada a mais e ainda nos ajuda a continuar viajando. Use o código EDUARDOEMONICA5 para ganhar 5% de desconto, e se pagar no boleto, ganha mais 5%. No cartão de crédito dá para parcelar em até 12x sem juros. 

VEJA TODOS OS ARTIGOS DA ARGENTINA

Vista de dentro do Trem para as Nuvens passando pelo Viaduto La Polvorilla

De cima do viaduto La Polvorilla

Viaducto La Polvorilla

PIN IT :) 

 

Como é a Viagem no Tren a Las Nubes, Argentina

 

JÁ CONHECE O NOSSO FACEBOOK?

VEJA MAIS