Roteiro pelo Norte Argentina: Tudo o Que Você Precisa Saber

Texto: MONICA MORAS  Fotos: EDUARDO VIERO

Um roteiro de viagem pelo norte da Argentina tem aventura, contato com a natureza e cultura indígena e muita altitude. São montanhas, cactos, estradas cênicas e vilarejos com compõem uma paisagem fascinante. Nós fizemos o roteiro do norte da Argentina de ônibus e uma parte de excursão e dá para afirmar que é bem fácil andar nessa região. 

COMO É O NORTE DA ARGENTINA

Na verdade os argentinos chamam essa região de Noroeste Argentino (NOA) com uma paisagem característica e completamente diferente de qualquer outra região do país. O que se vê são estradas sinuosas em altitudes que chegam aos 4 mil metros, montanhas multicoloridas em forma de leque, desertos de areia e de sal, e cactos gigantes. 

Andando pelas estradas dessa região, o que se vê também são pequenos povoados de casas feitas de adobe (tijolo de terra com palha) com pessoas de traços indígenas, muito parecidos com os bolivianos. E por falar em Bolívia, os bolivianos é que desenvolveram essa região graças as minas de prata de Potosí no período pré-colonial. Essa região era base de fornecimento de mantimentos e mulas, até que do final do século 18 a economia começou a declinar com a prosperidade de Buenos Aires. Hoje o que sustenta essa região é o turismo, ainda bastante desconhecido pela grande maioria dos viajantes. 

Roteiro pelo Norte Argentina 

ROTEIRO PELO NORTE ARGENTINA

Antes de mais nada, é importante decidir quanto tempo você tem para explorar essa região. O tempo mínimo é de 6 dias. E em até 9 dias você consegue conhecer todas as cidades e atrações que vou mostrar mais abaixo aqui no artigo.

a. COMO NÓS FIZEMOS

Nosso tempo era bem limitado, já estávamos no final do nosso mochilão "Do Ushuaia a La Quiaca" em 30 dias (tipo do Oiapoque ao Chuí) e bem cansados, nós fomos conscientes de que íamos gastar mais que a nossa média. Fizemos de Salta a nossa e a partir dela pegamos algumas excussões pela agência Turismo La Posada e algumas outras coisas fizemos de ônibus por conta própria pela companhia de ônibus Balut. Passamos 9 dias na região e nosso roteiro foi: 

  • DIA 1: Salta – chegada a partir de El Calafate
  • DIA 2: Valle Calchaquies, Piedra del Molino, Cuesta del Obispo, Parque Nacional Los Cardornes, Recta del Tin-Tin e Cachi (tour)
  • DIA 3: Purmamarca, Cierro del las Siete Colores e Salinas Grandes (tour)
  • DIA 4: La Caldera (cachoeiras, ônibus)
  • DIA 5: Salta
  • DIA 6: Tren a Las Nubes e San Antonio de Los Cobres (tour)
  • DIA 7: La Quiaca e Villazón (ônibus)
  • DIA 8: Humahuaca, Tilcara e Pucará de Tilcara (ônibus)
  • DIA 9: Salta – volta para o Brasil

Parque Nacional Los Cordones no Valles Calchaquies 

b. COMO VOCÊ PODE FAZER (MODO MOCHILÃO RÁPIDO)

Essa é uma sugestão de roteiro pelo Norte da Argentina de ônibus. Lembre-se de sempre conferir os horários e itinerários nas rodoviárias. De ônibus você vai perder algumas atrações. Se for carro, dá para fazer tudo em menos tempo. Todas as cidades podem ser exploradas em menos de 1 dia, mas por questões de logística, é melhor escolher onde parar de acordo com os seus interesses. Já falamos de todas essas cidades aqui no blog (leia) e demos sugestões de hospedagem em cada uma delas. 

  • DIA 1: Salta - chegada
  • DIA 2: Salta para La Quiaca (e Villazón) de ônibus direto de viagem: 7h.
  • DIA 3: La Quiaca – Humahuaca de ônibus de viagem: 2h.
  • DIA 3: Humahuaca – Tilcara (Pucará de Tilcara) de ônibus de linha: 40min.
  • DIA 3: Tilcara – Purmamarca de ônibus de linha: 30min.
  • DIA 4: Purmamarca (Cerro de 7 Cores) – Salinas Grandes (Bar de Sal) de remis/taxi: 1h.
  • DIA 4: Purmamarca – San Salvador de Jujuy de ônibus de linha ou viagem: 1h. 
  • DIA 5: San Salvador de Jujuy – Salta de ônibus de viagem: 1:30h.
  • DIA 6: Salta – Cafayate de ônibus de viagem: 3h.
  • DIA 7: Salta – Cachi de ônibus de viagem: 3h, mas eu sugiro pegar tour para poder parar na Cuesta del Obispo, vilarejos do Valles Calchaquies e Parque Nacional Los Cardones. 
  • DIA 8: Salta (Teleférico San Bernardo)
  • DIA 9: Salta OU Tren a Las Nubes: dia inteiro, se puder gastar bem mais que o orçamento permite.

Roteiro pelo Norte Argentina 

CIDADES E ATRAÇÕES DO NORTE DA ARGENTINA

Antes de falar roteiro, é interessante entender que a região é vasta e bastante complementar. No trajeto de uma cidade até outra, certamente você vai passar por algum vale, vai atravessar uma quebrada e quem sabe até percorrer uma parte da trilha Inca. Sim, a trilha Inca também passava pela Argentina e a Recta del Tin Tin é a maior prova disso.

Existem muitas cidades e atrações no norte da Argentina para se visitar. Separei os principais para você entender melhor a região. Em uma viagem de uma semana dá para ver tudo isso! 

Quebrada de Humahuaca

1. QUEBRADA DE HUMAHUACA

A Quebrada de Humahuaca foi um antigo caminho comercial e social do Império Inca. São várias serras distribuídas em forma de leque que mais se assemelha a um vale estreito, árido e montanhoso com 155km de extensão, por onde passa o rio Grande. Aliás, quebrada significa um rio rodeado por montanhas. Fazem parte dela San Salvador de Jujuy, Purmamarca, Tilcara e Humahuaca. Leia também Roteiro pela Quebrada de Humahuaca

2. SAN SALVADOR DE JUJUY

San Salvador de Jujuy é a capital da Província de Jujuy, mas não se difere muito das demais cidades da região. Jujuy serve muito mais como uma base mais próxima do que Salta, do que como uma cidade a ser explorada por mais tempo. 

3. PURMAMARCA E MORRO DE SETE CORES

Purmamarca é um vilarejo minúsculo, com menos de mil habitantes e que parou no tempo. As ruas são de terra e as casas de adobe. Ela é conhecida pelo Morro de Sete Cores (Cerro de los Siete Colores), uma montanha com as sete cores extremamente bem definidas que nem parecem de verdade. Leia também Conhecendo Purmamarca e o Cerro de los Siete Colores

Pucará de Tilcara

4. TILCARA E PUCARÁ DE TILCARA

Tilcara é mais uma das cidades da Quebrada de Humahuaca, onde fica o Pucará de Tilcara, uma fortaleza a 2500m acima do nível do mar, e o Jardín Botánico de Altura com mais de mil espécies, principalmente de cactos. A partir de Tilcara é fácil chegar na Garganta del Diablo. Leia também Pucará de Tilcara e o Jardín Botánico de Altura, Argentina

5. HUMAHUACA

Humahuaca já foi assentamento indígena e deu nome para a Quebrada de Humahuaca. Suas ruas são de pedra e empoeiradas, mas também com a preservação da cultura em pinturas nas paredes, estátuas de barro e metal, além dos artesanatos, muito bem feitos. Leia também O Que Fazer em Humahuaca , Argentina

6. LA QUIACA

La Quiaca é a cidade mais ao extremo norte da Argentina e faz fronteira com Villazón na Bolívia. Fica numa altitude de 3442m acima do nível do mar e por isso é importante fazer aclimatação antes de chegar lá, seja subindo de Salta e ou mesmo descendo da Bolívia. Leia também La Quiaca, O Extremo Norte da Argentina

La Quiaca

7. SALINAS GRANDES

Salinas Grandes é um salar no norte da Argentina, a terceira maior salina do mundo. São 525km² de área entre Salta e Jujuy, na região dos Andes, a uma altura de 3.450 metros acima do nível do mar com sal na espessura de 10 a 50cm. Em época de chuvas, forma uma lâmina d’água de até 30cm que produz uma visão inigualável do lugar. Leia também Salinas Grandes, o Salar da Argentina

8. SAN ANTONIO DE LOS COBRES

San Antonio de Los Cobres foi um antigo acampamento mineiro e por isso tem esse nome, por causa das minas de cobre e prata que existiam por lá na época da sua fundação. A cidade é pequena, com casas de adobe, ruas de terra e aparência de cidade fantasma. Mas San Antonio de Los Cobres ficou famosa por causa do viaduto La Polvorilla, a 15km, e por causa do Tren a Las Nubes.

Tren a Las Nubes passando pelo Viaducto La Polvorilla

9. TREN A LAS NUBES

Além de ser uma das mais famosas atrações turísticas do noroeste argentino, o Tren a Las Nubes (Trem para as Nuvens) é um trem de passageiros que percorre um trajeto de mais de 200km (só ida), faz zigue-zague, curvas em meio as montanhas coloridas, atravessa pontes, túneis e viadutos, sendo o mais impressionante o Viaducto La Polvorilla, que fica a 4200 metros acima do nível do mar. Leia também Como é a Viagem no Tren a Las Nubes, Argentina

10. SALTA

Salta é a melhor cidade para fazer de base e explorar o norte da Argentina. Todas as rotas passam por ali: vindo do Brasil, da Bolívia, do Atacama, de Buenos Aires e também da Patagônia. O nome Salta vem de “sagta” que na língua indígena aimará significa “a mais bela”, e é por isso que ela é conhecida como “La Linda”. Leia também Guia Completo de Salta: Tudo o Que Você Precisa Saber

Salta vista do Cerro San Bernardo

11. VALLES CALCHAQUIES E A PIEDRA DEL MOLINO

O Valles Calchaquies é uma pequena região com um vale de mais de 2 mil metros de altitude composto por vilarejos indígenas, pequenas igrejas brancas, construções antigas e os imensos cactos. No vale está Piedra Del Molino, a 3340m de altitude, uma pedra de amolar esculpida que pesa toneladas e que se partiu em dois ao ser transportada para o vale em 1927. Ao longo do Valles Calchaquies estão a Cuesta del Obispo, Recta del Tin-Tin, Parque Nacional los Cardones, Cachi e Cafayate. Esse vale faz parte da Quebrada de Cafayate. Leia também Valles Calchaquies e Cuesta del Obispo, Argentina

12. CUESTA DEL OBISPO

A Cuesta del Obispo fica no Valles Calchaquies está a capela São Rafael e se tem uma vista panorâmica de todo caminho que deixamos para trás. O nome Cuesta Del Obispo foi dado porque nos anos 1600 o bispo de Tucumán, Monsenhor Dr. Julian de Cortazar, viajava de Salta para Cachi em 1622 e usou esse ponto para descansar. O que explica também a presença da capela. 

Cuesta del Obispo

13. RECTA DEL TIN -TIN

A Recta del Tin-Tin foi traçada a quase 3.000 metros de altura por nativos pré-hispânicos usando tecnologia simples: fogueiras para servir como marcos alinhados permitiu um traço perfeitamente linear. A Recta del Tin Tin é do período Inca (1480 - 1535), quando parte da Trilha Inca, Património Mundial pela UNESCO, atravessou esta região para chegar até Cachi.

14. PARQUE NACIONAL LOS CARDONES

O Parque Nacional Los Cardones da Argentina fica na Quebrada de Cafayate, no Valles Calchaquies, numa área plana com caminhos demarcados para percorrer entre os cactos. Foi criado em 1996 e abrange uma área de 64mil hectares que abrigam ambientes das ecorregiões: os Andes Altos, a Puna, a serra de montanhas e bolsões (onde se desenvolve o cardonal); e até mesmo um setor com pastagem de nevoeiro, típico da região de Yungas. Leia também Como é o Parque Nacional Los Cardones, Argentina

Recta del Tin-Tin

15. CACHI

Cachi, no norte da Argentina, ainda conserva as características de casas coloniais feitas de tijolos à vista alinhadas em ruas estreitas. Ela fica a 2.280m de altitude e é rodeada de montanhas da Cordilheira dos Andes de mais de 5 mil metros de altura. Foi fundada no século 16 e foi o lar da aristocracia colonial naquela época. Leia também O Que Fazer em Cachi, Norte da Argentina

16. CAFAYATE

Cafayate fica no extremo sul dos Valles Calchaquies, na Quebrada de Cafayate. É conhecida pela qualidade de seus vinhos de altitude que tem um sabor especial. É possível experimentar eles nas bodegas da cidade que promovem visitas com degustação. Além disso, a paisagem de Cafayate é composta por vinhedos e montanhas. 

Cachi

TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O NORTE DA ARGENTINA

1. COMO VIAJAR PELO NORTE DA ARGENTINA

a. EXCURSÃO

 Boa para quem tem pouco tempo, não vai alugar carro e pode pagar um pouco mais.O roteiro é fechado, fazendo várias coisas num mesmo dia. Pegamos algumas pela agência Turismo La Posada de Salta, a nossa base do roteiro pelo norte da Argentina. Os valores entre as agências variam pouco, todos na mesma média de 110 a 140 reais (jul/18). Mas peça no seu hostel / hotel uma indicação de agência para comprar. 

b. DE ÔNIBUS POR CONTA PRÓPRIA

Se a ideia é ir subindo pelo trajeto Salta a La Quiaca, a companhia de ônibus Balut faz esse trajeto. Os valores compensam muito e os horários tem uma frequência boa. Não é ônibus de linha, mas para nos principais vilarejos ou na estrada que dá entrada para eles. Dá para comprar as passagens na hora, mas é melhor conferir os horários e itinerários. Mas dependendo do seu roteiro, talvez valha a pena ainda pegar ônibus de linha entre uma cidade e outra, como entre Humahuaca e Tilcara e/ou Tilcara e Purmamarca. 

c. CARRO

O valor compensa muito se você dividir com mais pessoas e ainda proporciona a liberdade de ir parando quando der vontade. As estradas são boas, bem sinalizadas e bem fiscalizadas. Por isso mantenha sempre com você os seus documentos, o documento do carro e do seguro. Os passageiros também precisam ter seus documentos em mãos nas paradas para fiscalização. E também ande sempre com o tanque cheio, já que achar posto de combustível não é tarefa fácil nessa região. 

DICAS EXTRAS: Veja como chegar e sair de Salta, com tempos e rotas no artigo Guia Completo de Salta: Tudo o Que Você Precisa Saber

Salinas Grandes

2. QUANTO TEMPO NO NORTE DA ARGENTINA

O tempo para ficar no norte da Argentina é algo muito relativo, porque depende do que você quer ver e como vai fazer. Nós ficamos 9 dias e roteiro que sugeri aqui em cima no artigo também é de 9 dias (com chegada e partida), mas em 6 você consegue fazer as coisas principais, sem o Tren a Las Nubes (que foge muito do orçamento mochilão). Independente se alugar um carro, pegar excussão ou for de ônibus. 

 3. QUANTO CUSTA A VIAGEM

Quanto mais roots, mais barato. Se alugar carro, o custo é dividido. Se o tempo tá curto, vai ter que pegar excursão. A inflação é pesada na Argentina, por isso leve mais dinheiro do que você espera gastar. Confira novamente os valores das excursões, some com o valor do hostel (albergue) e deixe uma sobra para alimentação, pois os valores estão variando muito na Argentina. Uma base de valores é:

  • Vai de mochilão fazendo tudo por conta própria: 25 dolares por dia
  • Vai de mochilão misturando excursão e conta própria: 40 dolares por dia
  • Vai viajar tranquilo: some o hotel + 40 dolares por dia 

Humahuaca

4. DINHEIRO E CÂMBIO NA ARGENTINA

O real é bem aceito nos bancos argentinos e no centro de Salta, principalmente nas ruas Bartolomé, Espana e Caseros, onde você encontra vários abertos das 9h às 14h. Na estrada e vilarejos é raro achar casas de câmbio, por isso programe-se para sempre ter pesos argentinos em espécie com você, já que pagar com cartão não é nada fácil nessa região. O dólar também tem uma boa cotação em bancos e casas de câmbio.  

 5. CLIMA DA REGIÃO

No verão, primavera e outono a temperatura fica entre 20ºC e 30ºC. Faz bastante calor durante o dia e a noite é agradável. Já no inverno a média é de 11ºC, mas a sensação térmica é bem menor, devido a altitude. Chove muito pouco, quase nada, entre abril e outubro. Fomos em outubro. 

Purmamarca

6. LEVE NA MOCHILA DA VIAGEM

Descongestionante nasal, protetor solar, protetor labial / manteiga de cacau, botas de trekking e óculos escuros. Se tiver, leve um casaco corta vento! Tudo isso independe de ser inverno ou verão. Para o inverno, inclua roupas quentes, como meias de lã, touca que cobre bem as orelhas, blusas e calças termo skin, blusão de fleece, e casacos de plumas de ganso ou o mais quente que você tiver.

7. SAÚDE E FOLHAS DE COCA

Essa região é bem seca, por isso leve a sua farmacinha com descongestionante nasal, paracetamol, dorflex e manteiga de cacau. Além disso, tenha sempre folhas de coca na bolsa e vá usando no caminho, para prevenir o mal da altitude, já que essa região é bem alta. Em Salta é fácil de achar. Você deve pegar umas 3 folhas, enrolar elas e colocar entre a gengiva e dentes e ficar sugando até sair todo gosto. E se sentir mal, procure ajuda imediatamente. 

O Seguro Viagem não é obrigatório na Argentina, mas é super recomendável para essa região, já que tem altitude, comidas diferentes (e de higiene duvidável) e muito trekking. Não cometa meu erro, que precisei do seguro e não tinha. Na Seguros Promo você pode comparar os Seguro Viagem e ainda ganha 5% de desconto usando o cupom EDUARDOEMONICA5. Pagando no boleto, tem mais desconto ainda. Sabia ainda que contratando o seu seguro viagem através do nosso link, você ganha desconto e ainda ajuda a manter o blog ativo?! Faça uma cotação! 

Purmamarca e o Cerro das 7 Cores 

8. HOSPEDAGEM

Nós ficamos a maior parte dos dias em Salta e uma noite em La Quiaca. Mas se você vai parar em alguma cidade, veja as sugestões:

Sabia que se você reservar sua hospedagem através dos nossos links acima (ou esse aqui), você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda a manter o blog ativo?! Reserve!  

Mapa da Rota Turística (em vermelho) do Norte da Argentina. Fonte: Altro Turismo

FIQUE LIGADO!!!

Não esqueça de fazer o Seguro Viagem! Eu já precisei (contei aqui) e não tinha. Não cometa meu erro! Fazendo o seguro através do nosso link você não paga nada a mais e ainda nos ajuda a continuar viajando. Use o código EDUARDOEMONICA5 para ganhar 5% de desconto, e se pagar no boleto, ganha mais 5%. No cartão de crédito dá para parcelar em até 12x sem juros. 

VEJA TODOS OS ARTIGOS DA ARGENTINA

PIN IT :) 

 

Roteiro pelo Norte Argentina: Tudo o Que Você Precisa Saber

 

JÁ CONHECE O NOSSO FACEBOOK?

VEJA MAIS