7 Golpes Comuns na Tailândia

Texto:MONICA MORAS  @monicamoras  Fotos: EDUARDO VIERO @eduviero 

A pior sensação da viagem é de se sentir enganado. Parece que perde um pouco do charme do lugar. Pior ainda quando envolve dinheiro. A Tailândia é um país muito seguro de viajar, mas infelizmente para algumas pessoas mal intencionadas (aquela meia dúzia!), nós, os estrangeiros, somos um alvo fácil para golpes. Não é para ficar paranoico, e deixar de aproveitar as belezas do país ou deixar de interagir com a pessoas, que são muito atenciosas, por sinal. Minha recomendação é apenas se manter um autêntico brasileiro desconfiado e ligado.  Leia também: É Seguro Viajar Para A Tailândia?

7 GOLPES COMUNS NA TAILÂNDIA  

1. O GRAND PALACE ESTA FECHADO HOJE

O golpe do Grand Palace é o golpe da Tailândia mais conhecido, que tentaram conosco (não caímos, óbvio!) e que ainda funciona. Alguém te para no entorno do Grand Palace, ou até mesmo bem antes dele, e diz que hoje o Palácio está fechado. Mas para sua “sorte”, ele consegue indicar um excelente lugar para visitar e você não perder seu tempo. E ainda vai te ajudar a pegar um tuk tuk ou taxi que, por obra do “destino”, está passando ou estacionado muito perto de onde vocês estão conversando. O destino são lojas de joias, roupas, souvenirs caros que pagam essas pessoas para levarem turistas para lá.

Como evitar: Entre no site do Grand Palace e confira se realmente ele está fechado.

Leia também:

2. TUKTUK ABAIXO DO VALOR EM BANGKOK

O golpe do tuktuk é o mais conhecido de Bangkok. Ele acontece de duas maneiras. A primeira é o motorista te oferecerem uma corrida muito abaixo do valor, como por exemplo cobrar 30 bath entre a Khao San Road e o Grand Palace. Só que ao invés de seguir o caminho, ele desvia e para um lojinhas de joias e souvenires. Ele comissão para isso. Para se ter uma noção, um tuk tuk sempre será mais caro que o Grab, que custa entre 70 e 80 bath nesse mesmo trajeto. 

A segunda forma é acrescentar um atração turística qualquer sem cobrar nada a mais por isso. Só que no caminho o que existe são vendedores e lojinhas de joias e souvenires. Se você quiser pegar um tuktuk, veja antes no seu hotel / hostel quanto em média custa o trajeto para o horário que você quer, porque eles também têm uma espécie de “rotativo”. E não entre no tuktuk sem negociar/acordar o valor! 

Como evitar: saiba a média de valores do seu trajeto e negocie antes de entrar no tuktuk.

3. TAXI NEGOCIADO EM BANGKOK (OU QUALQUER CIDADE GRANDE)

Esse é outro golpe muito conhecido e a maioria das pessoas que caem é por falta de atenção. Na Tailândia é obrigatório o uso do taxímetro (meter). Ou seja, só entra no taxi se o motorista concordar em usar o taxímetro (meter), mas ainda assim ele pode ser adulterado e contabilizar muito mais do que deveria, ou ainda o motorista resolver dar uma volta imensa para evitar o trânsito. Use Grab (app local) que é o Uber da Ásia. Vai custar um pouquinho mais caro (em reais nem dá para sentir), mas pelo menos você vai conseguir acompanhar o trajeto. Use o app Maps.me no Grab (tipo Uber) também! 

Como evitar: jamais negocie valores, exija o taxímetro (meter), use o Grab, e acompanhe toda a corrida pelo Maps.me / Google Maps / Grab. 

4. MERCADO FLUTUANTE FALSO 

O  Mercado Flutuante Damnoen Saduak é uma das atrações mais famosas e procuradas em Bangkok, e infelizmente ainda é um dos golpes da Tailândia que as pessoas mais caem por falta de pesquisa. As vítimas tentam negociar um transfer privado, o golpista oferece por mais ou menos 4mil bath, a vítima pede desconto e o passei sai pela metade do preço. O problema é que esse mercado flutuante não é o mesmo, é longe, e chegando lá ainda tem que pegar mais 1mil bath  para andar de barco nuns canais aleatórios, e pagar um extra para poder voltar. Para saber, um tour regular custa em torno de 500 bath por pessoa (veja Mama Travel e Coco Voyage) com o mercado do trem junto no mesmo dia, incluindo transporte e guia, mas com uma extra de 150 bath se quiser andar de barco (total de 650 bath). Passeios privados eu recomendo apenas com o Experiência Tailândia que tem guias em português. Leia o artigo Como É O Mercado Flutuante Damnoen Saduak

Como evitar: agende o tour pelo hotel ou em alguma agência recomendada, como o Experiência Tailândia ou alguém do Get Your Guide que tenha comentários. 

5. PREÇO DE TURISTA

Esse não é um golpe, mas sim uma prática comum em diversos países. O preço do turista é cobrar algo bem mais caro de um estrangeiro, enquanto um local pode pagar a metade do preço. Prefira lugares que tem o valor exposto, tanto para compras, como para restaurantes e massagem. Esse preço do turista eu sempre senti muito mais na região da Khao San em Bangkok, por isso não recomendo muito fazer compras em barraquinhas nessa região. E se fizer, negocie bem! Para saber, o preço original da Thai Massage em Bangkok é em média 200 bath e nas ilhas 400 bath, alguns lugares 500 bath.

Como evitar: se não tiver valor exposto, troque de lugar. 

Leia também:

6. PING PONG SHOW 

Ping Pong show extremamente barato onde você tem que pagar até para sair. Geralmente acontece com grupos de homens, e a cobrança pode ultrapassar os 3mil bath. O preço original é em torno de 300 bath tanto no Patpont Night Market, quanto na Walking Street de Pattaya, e precisa ser negociado antes de entrar no lugar. Na Soi Cowboy tem GoGo Shows já com o Ping Pong Show incluído. Para ficar lá dentro, tem que ficar consumindo. Não caia nesse golpe que é o mais manjado de todos! Se você tem curiosidade, leia atentamente e sem falso puritanismo o artigo Como é o Ping Pong Show em Bangkok, Tailândia para não ser a próxima vítima.

 Como evitar: desconfie de preços baixos demais.

7. ROUPAS PARA O GRAND PALACE

Esse golpe da Tailândia é o mais irritante, porém o mais leve, porque o prejuízo é menor. Geralmente quem cai é porque não pesquisou antes. O Grand Palace é o lugar com a vestimenta mais restrita de todos os templos. Não é permitido mostrar joelhos, ombros, decote, nem usar roupas justas (como legging) ou de alcinha com lenço por cima. Isso vale para homens e mulheres. Então, algum vendedor de calças, lenços, camisetas te aborda na frente do Grand Palace, mostra que a sua roupa está errada de acordo com a plaquinha que está na entrada do Grand Palace e te convence a comprar a calca / lenço / camiseta, por um valor padrão de lojinhas. Porém, no Grand Palace há o empréstimo de roupas, mediante pagamento de uma caução de 400 bath, devolvida no final da visita. Homens e mulheres pode pegar essas roupas emprestadas.

Como evitar: no dia do Grand Palace, vista-se de acordo com as regras. E se for necessário, pegue as roupas no próprio Grand Palace.  

E MUITOS OUTROS COMO:

  • Troco errado em mercadinhos.

  • Lavanderia que “perde” peças de roupa.

  • Motos alugadas que são “roubadas” pelos próprios donos da locadora ou que os donos cobram por arranhões e amassados. Peça indicação de onde ir alugar e faça fotos e vídeos da moto antes de alugar. Não esqueça da obrigatoriedade da PID (habilitação internacional). 

  • Falsos policiais que pedem passaporte e cobram para devolver. Por isso carregue apenas a cópia do passaporte e do visto. 

IMPORTANTE

Se você cair em algum desses golpes, não altere o tom de voz e nem parta para a agressão física. Apenas dê um jeito de entrar com contato com a polícia turística através do número 1155. Eles são prestativos e falam inglês. 

VEJA TODOS OS POSTS DA TAILANDIA

FIQUE LIGADO!

Não esqueça de fazer o Seguro Viagem! Eu já precisei (contei aqui) e não tinha. Não cometa meu erro! Fazendo o seguro através do nosso link você não paga nada a mais e ainda nos ajuda a continuar com o blog ativo. Use o código EDUARDOEMONICA5 para ganhar 5% de desconto, e se pagar no boleto, ganha mais 5%. No cartão ãdá para parcelar em até 12x. A Travel Acefunciona bem na Tailândia.

Ainda tem dúvida? Escreve aqui embaixo nos comentários :) 

JÁ CONHECE NOSSO FACEBOOK? SEGUE NO INSTAGRAM @MONICAMORAS e @EDUVIERO

VEJA MAIS